XP

Extreme Programming (também conhecido como XP) é uma metodologia ágil e econômica para desenvolver softwares de alta qualidade com requisitos vagos e que se modificam a todo o momento. O Extreme Programming trabalha com conceitos que requerem ser conhecidos por toda a equipe: comunicação, feedback constante, simplicidade, coragem e respeito.

Trabalhando com esses conceitos, o Extreme Programming consegue desenvolver softwares de forma mais barata e em menor tempo. Com a comunicação estrita entre cliente e desenvolvedores e reuniões para saber do andamento do projeto, o produto final fica perto do que o cliente pediu a priori. O feedback do cliente fica a cargo de reavaliar o software e indicar as mudanças ou o andamento do projeto. Dessa forma, o custo exponencial cai porque não há necessidade de refazer linhas do projeto já que a simplicidade e o desejo de atender ao que foi pedido são colocados em primeiro plano.

As práticas do XP são estruturadas de modo a serem mutuamente benéficas para todos os envolvidos em um projeto de software. Programação em par, por exemplo, beneficia os programadores de inúmeras formas. Mas, também beneficia os clientes, porque costuma ser raro encontrar bugs em funcionalidades implementadas em par. Gerentes, por sua vez, também se beneficiam porque a programação em par ajuda a disseminar conhecimento na equipe, o que permite que ela supere mais facilmente a ausência de um de seus membros enquanto estiver de férias, por exemplo. Fonte: www.desenvolvimentoagil.com.br

Essa metodologia ágil é uma resposta as metodologias tradicionais e o problema da entrega do projeto no prazo estipulado, já que tais metodologias visam uma proteção ao software que está sendo desenvolvido, mesmo que ele demande mudanças para alcançar o que foi pedido pelo cliente. Com o Extreme Programming, esse problema da mudança do software não ocorre, já que essa metodologia visa concentrar o esforço na equipe e trabalha diretamente com o feedback do cliente.
 
O XP tem suas vantagens quando relacionamos que o cliente sempre está com a equipe nas reuniões, proximidade essa que resultara num software final bem próximo daquilo que ele desejou. Outra vantagem considerável é o uso da programação em dupla que reduz o número de erros e dá maior legibilidade ao código, facilitando as manutenções pedidas nos feedbacks. Como testes são realizados das mais diversas formas, os erros são encontrados em estágios primários, já que a reunião com o cliente pede que o software seja modificado para o que foi pedido. A utilização da boa comunicação ajuda também na organização de tarefas o que poupa tempo a todos os envolvidos.

Há fatores também a serem considerados de forma negativa nessa metodologia. Para que o projeto dê certo, é necessário assegurar uma boa equipe e a maturidade dos envolvidos para que as questões possam ser discutidas de forma adequada. Requer do cliente tempo para que ele possa se reunir a equipe e dar seu feedback sobre o software que está sendo desenvolvido e perda de produtividade com a adoção da programação em duplas.


Sobre o tema nós da Bluesoft temos muita experiência neste tipo de programação e fizemos até um PosCast sobre Programação em Par. Confira abaixo.

 
Gostou?
Tem alguma dúvida, sugestão ou critica? Por favor deixe seu comentário no final da página.
Até a próxima!
——————————————————————————————-
Este post é um oferecimento de Acelerato – Sistema Online para colaboração, comunicação e produtividade.



Ainda não conhece o Acelerato? Não perca tempo, acesse agora e cadastre-se gratuitamente clicando aqui