Em uma entrevista, o célebre criador da Apple, Steve Jobs, declarou que: “O consumidor não sabe o que quer até que nós lhe mostremos”, uma visão compartilhada por muitos empresários. Contudo, também existe uma linha de pensamento bastante propagada atualmente, na qual admite-se que os consumidores não irão descrever um produto que poderá ser criado sem nenhuma alteração pela empresa, mas que é possível e muito importante obter algumas pistas sobre quais são as principais necessidades e prioridades das pessoas para, a partir de então, criar produtos que se encaixam a esse cenário.

Para auxiliar nessa tarefa de compreender melhor os clientes e consumidores, várias ferramentas tem sido criadas nos últimos anos. Entre elas, a mais utilizada é a ferramenta criada por Luke Hohmann em seu livro “Innovation Games”, que ficou conhecida como Product Box. A proposta dessa dinâmica é simples e criativa, sendo pautada na criação de uma caixa que contenha o produto ideal, ou seja, com todas as informações que influenciariam os clientes a escolherem esse produto ao invés daqueles que são vendidos pelos concorrentes.

O diferencial do Product Box é ir de modo contrário ao que foi defendido por Steve Jobs, oferecendo aos consumidores a chance de opinar em alguns aspectos da criação da caixa com novas ideias que seriam de facilitar o seu dia a dia. Após ter a opinião dos clientes, essa dinâmica deverá ser colocada em prática pela equipe de desenvolvimento do produto, envolvendo o trabalho de profissionais das áreas de marketing, comercial e outros.

Entre os aspectos que precisam estar presentes no Product Box, estão:

– A visão do produto.
– Sua proposta de valor.
– Qual o modelo de negócios adotado.
– As características de maior destaque do produto.
– As melhores abordagens para ofertar o produto.
– Os problemas e necessidades apresentados pelos consumidores.
– Os problemas que a empresa planeja resolver com aquele produto.

Como criar o Product Box

– Pegar caixas de papelão em tamanho médio, que não tenham nada escrito ou impresso.
– Canetas estilo pilot ou qualquer outra que consiga escrever no papelão.

Em seu livro, Luke Hohmann destaca que também podem ser utilizados lápis de cor e giz de cera coloridos, colas com glitter e adesivos, pois esses artefatos irão auxiliar a equipe na criação de um produto criativo e com um visual atraente aos olhos dos consumidores.

Primeira etapa: Preencher as caixas

1) Primeiramente, é preciso dividir a equipe em grupos de cerca de quatro pessoas.

2) Feito isso, a equipe precisa receber instruções claras sobre o funcionamento e os objetivos dessa dinâmica. Aqui, eles precisam ser informados que deverão criar um produto que resolva um problema dos clientes ou que se encaixe em uma oportunidade de mercado, baseando-se em opiniões já previamente coletadas dos consumidores.

3) Cada grupo deverá criar a sua caixa por um período de 30 a 60 minutos, a qual precisa conter alguns desses elementos:

– O nome do produto e do fabricante.
– Um slogan.
– Uma ficha que contenha as principais informações.
– Possíveis brindes a serem presenteados para quem comprar aquele produto.
– Ideias de como fazer o consumidor voltar a comprar aquele produto outras vezes, como por exemplo, ao juntar selos e mais uma quantia em dinheiro, é possível trocá-los por um novo produto.
– Reviews de consumidores que tenham aprovado o produto.

Segunda Etapa: Apresentar o conteúdo das caixas

Cada grupo deverá “vender” o seu produto criado ao final dessa dinâmica, em um intervalo de 5 a 10 minutos. No fim de todas as apresentações, o gestor das equipes pode promover um debate entre todos os grupos sobre as suas caixas, atentando-se a opinião dos participantes de cada grupo sobre o produto criado pelas outras equipes. Essa etapa do Product Box é muito importante pois ajuda a definir quais são os pontos de consenso entre a equipe e, paralelamente, aqueles que geraram mais dúvidas e opiniões contrárias.

Terceira Etapa: Processar todo o conteúdo produzido

Para fazer uma consolidação de todo o material criado, o livro “Innovation Games” sugere que a melhor alternativa é separar as informações das caixas através de alguns grupos, sendo eles:

– Benefícios
– Diferenciais
– Propostas de valor
– Experiência do cliente
– Tecnologia utilizada
– Preço

Depois de realizar uma análise sobre as informações contidas em cada grupo, é interessante extrair os aspectos mais importantes criados com o Product Box e utilizá-los como esboço para desenvolver ou aprimorar o produto ou serviço oferecido pela empresa.

Essa dinâmica, que em um primeiro momento pode parecer apenas uma brincadeira, funciona como um ótimo método de reflexão para que uma equipe consiga discutir e chegar a uma conclusão sobre quais são as características mais importantes e de maior destaque em seu produto. Essa discussão contribui de forma substancial para que se chegue a consenso sobre quais são os atributos indispensáveis para que os consumidores se interessassem por um determinado produto e serviço em comparação aos demais concorrentes do mercado.

O Acelerato é um sistema de atendimento online, que proporciona mais flexibilidade ao trabalho que está sendo desenvolvido, pois o mesmo pode ser acessado a qualquer hora e de qualquer lugar. Com o auxílio dessa plataforma, uma série de funcionalidades de controle e gestão estão disponíveis para serem utilizadas, o que contribui de forma direta para o aumento da produtividade e da economia de tempo da equipe.

Gostou?
Tem alguma dúvida, sugestão ou critica?
Por favor deixe seu comentário no final da página.
Até a próxima!
——————————————————————————————-
Este post é um oferecimento de Acelerato – Sistema Online para colaboração, comunicação e produtividade.



Ainda não conhece o Acelerato? Não perca tempo, acesse agora e cadastre-se gratuitamente clicando aqui