Elaborado pelo engenheiro de origem japonesa, Kaoru Ishikawa, o diagrama que foi batizado com seu sobrenome, trata-se de um elemento gráfico utilizado para identificar as causas que levaram a um determinado problema.

Elaborado em formato de uma espinha de peixe, é uma ferramenta indicada para utilização em processos de controle de qualidade dentro das empresas. O emprego do Diagrama de Ishikawa ainda é bastante frequente dentro das organizações, dada a sua simplicidade no que se refere ao desenvolvimento e implementação.

Na representação gráfica, o Diagrama de Ishikawa consiste em se escrever, na cabeça do peixe, a situação problemática que uma determinada organização está vivenciando e, ao longo do desenho, os questionamentos acerca dos fatores que levaram ao momento crítico em questão. Posteriormente as respostas vão surgindo com maior ou menor facilidade de identificação. Estima-se que grande parte dos revezes organizacionais são efetivamente solucionados com este método.
 
Embora seu aparecimento date da década de 60, trata-se de algo extremamente contemporâneo e é largamente empregado em grandes empresas ao longo de todo o mundo. Conhecidas como 6M, as seis perguntas simples, porém de bastante relevância, são feitas a fim de se encontrar os motivos que levaram a um dado problema. Conheça o que deve ser questionado dentro dos critérios desse tipo de diagrama:

Medida: refere-se à possibilidade de alguma medida ter sido tomada de forma equivocada, ocasionando um problema para a empresa.

Mão-de-obra: quando o agente causador decorrer do despreparo em virtude de um modo de se trabalhar de forma displicente, onde um colaborador é exclusivamente responsável pelos danos originados.

Material: Conhecido também como matéria-prima, refere-se a algo que não deu certo pela utilização de elementos de baixa qualidade ou impróprios para o que deveria ser produzido.

Método: Quando o modo de se trabalhar é distorcido, tornando-se ineficaz ou completamente inadequado à realização de determinada tarefa.

Máquina: Nesse caso, mesmo que os demais fatores estejam de acordo com o planejamento realizado, a apresentação do produto final poderá não ocorrer ou se tornar defeituosa, denegrindo a marca caso seja comercializada.

Meio ambiente: Os agentes externos, se interferirem na produção, tornam-se causadores de diversos imprevistos, que podem ocasionar danos de várias naturezas.

 
Gostou?
Tem alguma dúvida, sugestão ou critica?
Por favor deixe seu comentário no final da página.
Até a próxima!
——————————————————————————————-
Este post é um oferecimento de Acelerato – Sistema Online para colaboração, comunicação e produtividade.



Ainda não conhece o Acelerato? Não perca tempo, acesse agora e cadastre-se gratuitamente clicando aqui